Current track

Title

Artist

Background

Sal: MpD local considera que pais salva companhia aérea com privatização da TACV

Written by on 09/03/2019

A Comissão Política Concelhia do Movimento para a Democracia (MpD), na ilha do Sal, congratulou-se com a privatização da TACV, asseverando que com esta decisão o país “salva” a companhia aérea e mantém os postos de trabalho.

Esta satisfação foi hoje manifestada em conferência de imprensa convocada para o efeito, na voz de Ailton Rodrigues, membro da Comissão Política Concelhia do partido na ilha.

Considerando que é “grande o desafio” e “maior ainda a responsabilidade”, Ailton Rodrigues acautelou que, neste momento, a cooperação Governo/câmara municipal, empresas privadas, instituições do Estado, ONG, cidadãos, jovens e adultos, “mais do que nunca”, deve assumir a sua “verdadeira identidade”.

“Este é o momento que temos que nos unir em direcção ao futuro, em direcção ao bem comum, este é o momento em que todos somos chamados a contribuir, efectivamente, para uma ilha do Sal próspera, desenvolvida, sustentável e inclusiva”, sublinhou.

Ailton Rodrigues sustentou, por outro lado, que a assinatura do contrato de privatização da TACV (actual Cabo Verde Airlines), permitirá a concretização do hub aéreo, colocando o país e a ilha do Sal, conforme disse, no centro do mundo, ligando o arquipélago à África, Europa, América do Norte e do Sul.

“Com o hub aéreo a funcionar em pleno haverá aumento do emprego especializado, salário digno para os jovens salenses, melhor dinâmica do turismo e em consequência mais rendimentos para todos os operadores ligados directo ou indirectamente ao turismo, grandes ou pequenos (…), e ainda maior crescimento do comércio e da economia local”, concretizou.

Segundo o representante do MpD local é preciso que todas as instituições estejam “alinhadas” com este desafio que irá “impactar todas as gerações, actuais e futuras”, sublinhado, todavia, que a activação do hub e a privatização da TACV são “apenas importantes activos neste intrincado processo” de desenvolvimento.

“É preciso que os programas municipais reflictam, inequivocamente, um claro alinhamento com as medidas estruturantes que estão sendo implementadas pelo Governo, com a clara consciência de que o trabalho está ainda à nossa frente e que a nível municipal há muito que crescer para podermos acompanhar este processo”, declarou.

“As políticas municipais têm que começar a reflectir esta visão, sabemos para onde vamos e o que estamos fazendo. Nós temos as soluções”, concluiu.


Opiniões dos Leitores

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com asterisco *