Current track

Title

Artist

Background

Depressão: O sintoma sobre o qual ainda não ouviu falar

Written by on 07/05/2019

A doença manifesta-se sobretudo pela presença de diversos sintomas, entre eles a perda de interesse por atividades que antes eram prazerosas, falta ou excesso de sono e fome, apatia, sentimentos de culpa, oscilações de humor, isolamento social e irritabilidade.

Todavia, um estudo publicado no periódico científico Psychological Science revela que um dos sintomas da depressão é também a incapacidade que a pessoa pode ter de em diferenciar emoções negativas como culpa, raiva e frustração.

Para efeitos daquela pesquisa foram analisados indivíduos que padeciam da doença. Os voluntários relataram as suas emoções em intervalos aleatórios ao longo de uma semana. De acordo com o médico e professor Emre Demiralp, um dos autores do estudo, a falta de distinção entre essas emoções impede os profissionais de saúde de conseguirem ajudar eficazmente os doentes.

“É difícil melhorar a qualidade de vida dos pacientes quando não conseguimos discernir se estão tristes ou irritados. Por exemplo: imagine não ter um indicador independente que mostre o nível de gasolina do seu carro – seria um desafio saber quando parar para abastecer. Queríamos investigar se as pessoas com depressão clínica tinham medidores emocionais informativos e se experienciavam emoções com o mesmo nível de especificidade e diferenciação como as pessoas saudáveis”, disse em declarações ao jornal britânico The Independent.

O estudo

Os participantes da pesquisa tinham que dizer quais os sentimentos, entre 11 citados, que experienciavam – dessas emoções, sete eram negativas. Os pacientes assinalaram momentos quando se sentiam tristes, ansiosos, irados, frustrados, envergonhados, com nojo ou culpados. As emoções positivas eram de felicidade, animação, sensação de alerta e de sentirem ativos.

As pessoas com diagnóstico de depressão clínica praticamente não conseguiram diferenciar as emoções negativas que estavam a sentir – quem não tem depressão, no entanto, não apresenta essa mesma dificuldade.

No caso das emoções positivas, tanto pacientes deprimidos quanto os não deprimidos conseguiam distinguir com clareza os sentimentos. Para Demiralp, esses resultados revelam que ser específico sobre os sentimentos negativos que se tem pode ser um bom indicativo de saúde mental.

O especialista aconselha a não dizer apenas que nos estamos a sentir mal, mas a especificar sempre qual é o sentimento mais proeminente: “É raiva, vergonha, culpa ou alguma outra emoção? Tal pode ajudá-lo a contornar essas emoções e a melhorar sua vida”, explicou.


Opiniões dos Leitores

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com asterisco *