Current track

Title

Artist

Background

Covid-19. Uso de máscara em transportes e lojas reduz transmissão em 40%

Written by on 17/06/2020

Um estudo alemão e dinamarquês concluiu que o uso obrigatório de máscara nos transportes públicos e espaços comerciais diminui a propagação do coronavírus SARS-CoV-2 em cerca de 40%.

Oestudo publicado pelo Instituto Alemão de Economia do Trabalho, revela que a utilização da máscara em espaços públicos pode diminuir em cerca de metade o aparecimento de novos casos de Covid-19. 

Para efeitos daquela pesquisa os investigadores analisaram a introdução obrigatória do uso de máscaras nos transportes e em lojas na Alemanha.  

Olhando para os novos casos da doença após a realização da experiência, os cientistas afirmaram que existem “dados estatísticos fortes e convincentes” de que a máscara “reduz significativamente o número de ocorrências da patologia”. 

Os investigadores, da Universidade Johannes Gutenberg de Mainz, na Alemanha, e da Southern University da Dinamarca (SDU), apontaram que este estudo foi o primeiro em todo o mundo a analisar os efeitos do uso de máscara num ambiente real controlado. 

Em Jena, na Alemanha, no dia 6 de abril, passou a ser obrigatório o uso de máscara em espaços comerciais e nos transportes públicos, sendo que a medida levou a um decréscimo dramático de novas infeções. 

Entretanto, no dia 20 do mesmo mês, a região da Saxónia implementou a mesma medida e assistiu igualmente a um decréscimo no número de infeções. 

De acordo com os académicos, as melhorias aparentes na diminuição do surgimento de novos casos de Covid-19 não foram uma coincidência. 

No estudo, os investigadores escreveram: “a pronta introdução de máscaras faciais na cidade de Jena resultou numa redução de quase 25% no número cumulativo de casos reportados de Covid-19 após 20 dias”. 

“O decréscimo foi ainda mais acentuado, superior a 50%, em indivíduos a partir dos 60 anos”. 

“Usar máscara aparentemente contribuiu para uma queda considerável da taxa de transmissão do SARS-CoV-2”, concluíram. 


Opiniões dos Leitores

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com asterisco *