Current track

Title

Artist

Background

Guterres pede ao mundo para fazer as pazes para que 2021 seja ano de cura

Written by on 29/12/2020

O secretário-geral da ONU apelou ao mundo para que faça as pazes entre si e com a natureza, para que 2021 seja um ano de cura, tanto em relação à covid-19 como às mudanças climáticas.

“Façamos juntos as pazes entre nós e com a natureza para enfrentar a crise climática, impedir a disseminação da covid-19 e fazer de 2021 um ano de cura”, afirmou António Guterres, numa mensagem de Ano Novo, divulgada hoje através de vídeo.

Segundo o secretário-geral, a ambição central das Nações Unidas para 2021 é “construir uma coligação global em prol da neutralidade de carbono até 2050”.

“Cada governo, cidade, empresa e indivíduo pode contribuir para a concretização desta visão”, disse.

Admitindo que 2020 “foi um ano de provações, tragédias e lágrimas” e que a covid-19 virou a vida das pessoas “do avesso e mergulhou o mundo em sofrimento e tristeza”, o secretário-geral das Nações Unidas lembrou que o ano também ensinou a ter esperança.

“Tanto a mudança climática como a pandemia da covid-19 são crises que só podem ser enfrentadas por todos nós, juntos, como parte de uma transição para um futuro inclusivo e sustentável”, afirmou.

E, embora se tenham perdido “muitos entes queridos” e a pandemia continue a alastrar-se, o novo ano traz “raios de esperança”, sublinhou.

Ao mesmo tempo que se vê “a pobreza, as desigualdades e a fome a aumentar”, também se encontram “pessoas a estenderem a mão a vizinhos e estranhos”, disse.

“Embora os empregos estejam a desaparecer e as dívidas a subir”, “as crianças enfrentem dificuldades” e “a violência em casa esteja a aumentar”, Guterres lembra que 2020 mostrou “trabalhadores na linha da frente a darem tudo o que têm” e “cientistas a desenvolverem vacinas em tempo recorde” ou “países a assumirem novos compromissos para prevenir a catástrofe climática”.

Um “ano difícil” que deixou uma lição, adiantou Guterres: “se trabalharmos juntos, em união e solidariedade, esses raios de esperança podem chegar a todo o mundo”.

Para o secretário-geral das Nações Unidas, 2021 deve servir para “curar o impacto de um vírus mortal, curar economias e sociedades destruidas, curar divisões e começar a curar o planeta”.


Opiniões dos Leitores

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com asterisco *