Current track

Title

Artist

Background

Espanha: 35 policias feridos e 19 detidos em manifestações violenta em Madrid

Written by on 18/02/2021

Pelo menos 19 pessoas acabaram detidas na sequência das manifestações em Madrid, capital de Espanha, contra a detenção de um rapper que criticou a monarquia e que provocaram pelo menos 55 feridos, 35 dos quais policias.

De acordo com fontes das forças de segurança citadas pela agência espanhola Efe, este é o balanço provisório de mais uma noite de protestos violentos que também provocaram danos materiais avultados na Porta do Sol e na área em circundante.

Pelo menos 55 pessoas necessitaram de prestação de cuidados de saúde, dos quais 35 são polícias e três tiveram de ser transferidas para um hospital. Centenas de pessoas saíram hoje à rua em Madrid e Barcelona para protestar contra a prisão do ‘rapper’ Pablo Hasel, numa ação marcada pela violência que levou a polícia a carregar contra os manifestantes.

Na Porta do Sol, em Madrid, grupos de manifestantes ostentando cartazes com frases como “Liberdade Pablo Hasel. Amnistia total” ou “Pablo Hasel liberdade, fora a justiça franquista”, arremessaram mobiliário urbano e outros objetos contra membros das Unidades de Intervenção da Polícia (UIP), que tiveram de recorrer a cargas policiais para tentar conter a violência.

Alguns dos manifestantes arrancaram pedras da calçada e atiraram-nas contra a polícia, que conseguiu encurralar os mais violentos num canto da praça, e acabou por fazer uso de balas de borracha e gás lacrimogéneo.

Os manifestantes incendiaram contentores, derrubaram as vedações que cortavam o acesso à boca do Metro, que está em obras, e atingiram os quiosques da praça com garrafas de vidro que os manifestantes atiraram à polícia.

Em Barcelona, o cenário repete-se, com milhares de pessoas nas ruas da capital catalã, pelo segundo dia consecutivo, num protesto em que incendiaram barricadas na Praça Urquinaona em Barcelona.

Segundo os números da Guarda Urbana, são cerca de 2.200 os manifestantes naquela cidade, a protestar contra a prisão de Pablo Hasel, detido por injúrias à monarquia e glorificação do terrorismo, através das suas mensagens na rede social Twitter e letras das suas canções.


Opiniões dos Leitores

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com asterisco *