Current track

Title

Artist

Background

“África não está no caminho certo para atingir a fome zero até 2030”

Written by on 04/03/2021

África não está no caminho para atingir a fome “zero” até 2030, disse esta quarta-feira, 03, em Brazzaville, o representante regional das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) para a África, Abebe Haile-Gabriel.

O responsável falava durante uma reunião para rever o progresso do continente em direcção a este objectivo, co-organizado pela Comissão Económica para África (CEA) e pelo Programa Alimentar Mundial (PAM), em colaboração com o Governo da República do Congo no âmbito da VII sessão do Fórum Regional Africano para o Desenvolvimento Duradouro, que decorre, neste momento, em Brazzaville.

No entanto, adianta a mesma que Haile Gabriel considera que a Área de Livre Comércio Continental Africano (AfCFTA) é uma oportunidade única para a transformação do sistema alimentar do continente.

Para abordar a questão da fome na África, Haile-Gabriel disse que a vontade política e o compromisso ao mais alto nível são essenciais, acrescentando que acções e investimentos a nível nacional e local também são essenciais.

“Há uma necessidade urgente de o continente se reconstruir e ser mais forte para o futuro após a pandemia de covid-19 e, assim, apelar aos governos para que invistam em medidas de protecção social para salvar os mais vulneráveis da sociedade”, realçou acrescentado que a transformação do sistema alimentar africano é crucial para ajudar a acabar com a fome.

Por seu lado, o representante do PAM, Chris Toe, salientou que os países africanos devem priorizar e aumentar os investimentos na transformação rural, infra-estrutura sustentável e desenvolvimento de capital humano enquanto se esforçam para acabar com a fome e a insegurança alimentar.

De acordo com o gabinete de comunicação e imagem, o encontro permitiu que os Estados Membros reflectissem e compartilhassem as medidas transformadoras e investimentos que irão facilitar a construção de sistemas alimentares africanos para melhor responder à Agenda de Desenvolvimento 2030 e às Aspirações da Agenda 2063 da União Africana.


Opiniões dos Leitores

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com asterisco *